quinta-feira, 1 de junho de 2017

o mundo em que vivemos

Vou voltar a escrever uma coisa parecida ao outro post que fiz chamado a explicação da humanidade, mas virado para outro, peço-vos só uma coisa se concordarem com a minha mensagem compartilhem.
Tenho tantas perguntas a fazer sobre este mundo, eu sou daquelas pessoas que, às vezes, vê o mundo de forma diferente, sendo muito diferente às outras pessoas e percebendo coisa que elas demoram a perceber. A primeira pergunta é: Porque é que hoje em dia anda toda a gente viciada no telemovel?
Hoje em dia muita da gente com quem convivo anda sempre encima so telemovel ( eu não digo que às vezes também o faça), mas percebi que toda a gente preocupa-se mais com os telemóvel, redes sociais, mensagens, etc, em vez de se preocuparem com as pessoas que te rodeiam, em vez disso tu passa o dia agarrado (a) ao telemóvel ignorando a pessoa achas que ela se sente bem a única coisa que quer é ter uma conversa boca a boca e não através de mensagens do telemóvel, conforme o meu ponto de vista hoje em dia as pessoas preferem mandar mensagens do que falar pessoalmente. Outra coisa há pessoas que criam redes sociais só para se sentirem apreciados com atenção, mas não é assim se calhar à pessoas que se preocupam contigo que estão o dia todo à tua procura, mas que tu os ignoras, achas mesmo que ninguém gosta de ti, então não sabes o que o amor, nem paixão.
E se há coisa que eu tenho é paixão pela escrita, não tenho medo disso, porque sou uma pessoa completamente diferente quando escrevo, pois deixo os meus problemas para trás e a única coisa que faço é deixar a minha mente fluir. Acho que se desistir de escrever será porque já me fartei de viver como eu vivo.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

A adolescência

gostava de começar uma nova aventura duma das etapas que estou agora a passar a Adolescência.

sábado, 13 de maio de 2017

Os tais jogos

Olá desculpem não publicar entradas à já algum tempo, mas é que fez me chegar aos ouvidos que existia um jogo do suicídio chamado Baleia Azul e tenho andado um pouco ocupada criando um grupo no facebook ( que já está criado) para conseguir acabar com esse jogo que aqui em Portugal já matou um adolescente. O jogo consiste em cumprir 50 desafios e o ultimo o 50 seria o suicidio. Tenho andado no facebook a fazer um jogo que é diferente que é do bem, que consiste em cumprir tambem desafios, mas ao contrário da Baleia Azul neste jogo não são sobre o suicidio senão sobre a alegria de viver. Podem visitá-lo e juntar-se a ele, se no facebook procurarem Baleia rosa!

Criadora do grupo: Alegri Liria

Resultado de imagem para baleia rosa

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A explicação da humanidade

Há várias coisas na humanidade que me intrigam, outras eu ainda não consigo perceber, mas consigo distinguir nesta humanidade duas coisas o Bem e o Mal, mas, infelizmente, neste mundo acho que existe mais o Mal do que o Bem, há coisas boas que me deixam voltar a ter fé na humanidade outras que me fazem perde la. Se eu pudesse mudar nem que seja só uma coisa no mundo mudaria tentava mudar as pessoas, mesmo percebendo que às vezes é em vão , mas não desistiria aliás nunca desisti de mudar. Queria tanto que não houvesse guerras, ladrões, assassinos, que não houvesse qualquer tipo de maldade que seja, mas eu sei que nos criarão assim para aprendermos a ser humanos. E por mim própria descubro que na verdade fomos criados para podermos melhorar o mundo , mas pelo contrário estamos a piorá-lo, estamos a destruir o que nos foi dado para sobrevivermos neste planeta. Às vezes até ultrapassamos os nossos próprios limites, tudo por causa de uma coisa a que chamamos poder. Eu por mim acho que o poder não serve para nada , apesar de ,supostamente, criar regras para melhorar o mundo só estão a piorá-lo e apesar de alguns dizerem: 《 ah! A culpa não é minha! Eu sou Boa pessoa!》 Isso muitas vezes é mentira. Eu mesma já passei por situações que me fizeram perceber como o mundo é, nem sequer é o mundo que tem o problema é a nossa sociedade que a tem. Mas será que alguém conseguiu notar isto ou fui eu a única?  Hoje em dia diz-se muito há muita mais igualdade do que antes, sim é verdade, mas à medida que parece haver mais igualdade há menos e o mesmo acontece com a nossa liberdade. Eu nem consigo acreditar que há pessoas cruéis que nos estão a tirar a liberdade toda, e nós em vez de dizermos que não  ainda o ajudamos mais a que consiga isso. Eu não sei porque é que quase toda a gente tem vergonha e medo de fazer algo diferente, o ser original é uma das coisas que mais me inspira, eu sei que por ser original não ganho nada, mas na realidade ganho algo ter uma força que me faz seguir em frente. Sim eu às vezes tenho medo de fazer coisas diferentes, pois acho que ninguém me ía levar a sério e só gozariam comigo, mas eu faço-o, às vezes não quero saber da opinião dos outros para quê eles é que perdem há tanta coisa no mundo porquê desaproveitá-la. Eu cá não quero irei aproveita-la até o final da minha vida digam o que digam. Eu cá não desejo fama por isso só respeito, eu a única coisa que quero é ser respeitada e não quero só que me respeitem a mim senão a todos os que vivemos no planeta sejam altos, magros, gordos, pobres, sejamos o que sejamos todos merecemos ser respeitados porque o respeito é a chave de tudo e não só o respeito também o amor, a paz e sobretudo a felicidade. Eu nesta vida só quero ser feliz, quero sonhar, quero aprender. E conhecer tudo o que está ao meu alcance e descobrir o meu próprio caminho. Quem aceita este desafio, vamos tentar mudar o mundo é fazê-lo assim mesmo um lugar melhor? Faz o que estiver ao teu alcance. Espero que tenham gostado deste pequeno texto, só vos peço um favor por favor não o desprezem e se quiserem compartilhem, quero mesmo que esta mensagem seja difundida pelo mundo.

terça-feira, 25 de abril de 2017

23 de abril- Dia mundial dos livros

Hoje é um dia muito especial, pois é dedicado a uma coisa que eu adoro os livros, mas para mim sempre houve uma duvida será que se pode resumir numa palavra ou inclusive numa frase? Graças a essa pergunta cheguei à conclusão de que os livros não se podem resumir nem numa palavra, nem numa frase, porque senão ficam sem sentido, para mim que até deixam de ser livros. Todos os livros têm a sua história, todos os livros têm a sua capa e o que mais se diferencia todos os livros são diferentes uns melhores que outros, são como nós, mas eles estão sempre numa estante e nós estamos sempre a andar, sempre a aprender coisas. Tal como os livros nós todos somos diferentes, uns mais do que outros, mas isso é bom, podemos conhecer uma variedade de pessoas, aprender coisas com ela, mas há uma coisa que me chatea imenso é que muitas pessoas gozam com as outras só por causa das diferenças, eu não o problema de ser-mos diferentes, pelo contrário adoro é uma forma nova de ter amigos , mas enfim... é melhor voltar ao assunto já me afastei um pouco. Bom agora voltando aos livros, às vezes os livros ajudam-nos seja no que for, às vezes até sair da realidade e imaginar, às vezes é preciso. Os livros são uma coisa extraordinária temos de os aproveitar pode que eles não durem para sempre, apesar de que se os livros deixam-se de existir eu não ía gostar nada porque eu adoro livros, para mi livros é vida ensinam-me de tudo, mas não me ensinam uma coisa, isso vou ter de ser eu a descubrir. Obrigada pelo vosso tempo e atenção! Espero que tenham gostado!

O mundo dos meus sonhos- parte VII

Lá foram todos muito apressados em direção a uma montanha muito grande com uma gruta que era pouco visível desde o chão, mas eles estavam à  distância suficiente como para ver que no cimo da montanha estavam o Dragão ( a "dragoa") e o pequeno diabo. E sabendo que estavam perto foram ainda mais rápido do que a luz para poder salvar a sua amiga da morte segura. Chegaram ao cume e com calma e cuidadosos eles foram em direção à gruta, sem serem vistos nem notados pelos dois, mas sem querer a menina pisou um ramo o qual fez um barulho estrondoso e até fez eco, pelo que por isso foram vistos pelos dois e decidiram dar um Paço em frente para falar com os dois. A menina corajosa disse: 《 Devolvam o que não é vosso!》 《 Mas se eu devolver não ganharei o respeito de meu pai》 disse o diabo. 《 E eu nunca terei história, serei só mais uma recordação. E eu não quero》 disse o Dragão. Bluedime com as forças restantes disse: 《Mas não é preciso teres o livro para teres uma história, tu já tens uma história. Eu já a escrevi a tua história! Desculpa não te ter dito.》《 Eu não sabia mesmo Bluedime! Peço desculpa se te causei alguns problemas. Toma isto pertence-te》O Dragão acabou de dizer isto e entrgou-lhe o livro e logo após isso Bluedime recuperou todo o seu poder. 《E tu diabinho porque tiraste isso ao anjo?》《 Foi para não desiludir o meu pai, ele diz que somos enemigos. Eu não queria mesmo fazer isto.》respondeu o diabo. 《 Mas tu achas que vocês são enemigos?》 Perguntou Jackie. 《 Não eu queria ser amigo dele. Não queria ser seu enemigo.》respondeu de novo. 《 Porque nunca me disseste diabinho eu também queria ser teu amigo!》disse o anjo. 《 eu só o faço para ter a aceitação do meu pai.》 Reafirmou o diabo. 《 vamos mostrar aos nossos pais que só por sermos anjo e diabo não temos porporque nos dar mal, querem vir conosco? 》 perguntou o anjo. 《 Claro!》respondeu o grupo em coro. Lá foram eles todos juntos em direção à separação do mundo do bem e do mal. Chegaram e o anjo e o diabo chamaram seus pais ao terraço de cada Castelo e disseram: 《 pai o amor é que importa!》e deram os dois um grande abraço, tendo levantado até voou e feito a faísca do amor. Os pais perceberam e desde esse momento passaram a dar-se bem . 《 antes de irem tenho de dar uma coisa a Jackie e acho que o diabo também》 disse o anjo. Jackie aprozimou-se deles e pôs se de joelhos. O diabo e o anjo aproximaram se e deram-lhe a espada do anjo e o escudo do diabo e os dois a seguir disseram : 《 és agora a guerreira da harmonia entre o bem e o mal, demonstraste ser digna destas ofertas e de ter o poder de saber que no mundo não há nem bem nem mal, mas sim a harmonia entre eles. Boa viagem para o Centro do mundo.》E partiram em direção ao seu rumo.

terça-feira, 18 de abril de 2017

O jogo de avião 1- O romance rápido

Olá a todos hoje irei fazer uma coisa diferente. Há relativamente pouco tempo fiz uma viagem de avião e tive a ideia de fazer um jogo comigo mesma ( mas se tivesse sido com outra pessoa ainda tinha sido melhor), o jogo consistia no seguinte: eu escolhia uma pessoa qualquer do avião e criava-lhe uma história, mas neste caso não era fictícia. Então foi isso que eu fiz escolhi em vez de uma duas pessoas um rapaz alto, muito magrinho e que parecia nervoso e uma rapariga alta, com um corpo lindo e cabelos loiros que pareciam ouro. O meu colega do lado parecia muito interessado naquela rapariga, pois não fazia mais que lançar-lhe olhares de amor, definitivamente achava que eles os dois eram um bom para ( apesar de não os conhecer). A rapariga chamava-se Maria e o rapaz chamava-se João. Maria apanhou aquele voo que ia a Barcelona para poder  ir visitar a sua mãe que estava muito doente e para além disso ela tinha de lhe levar um pouco de dinheiro e alguns medicamentos para ela se recuperar, mas surgiu um problema os do aeroporto enganaram-se no estava no bilhete, naquele bilhete estava viagens simples sem mala no porão , tendo Maria que pagar com algum dinheiro que levava para a sua mãe. João era diferente um jovem de medos e preocupações sempre preocupado com tudo e muito perfeccionista ele dirigia-se para Barcelona para fazer uma entrevista de trabalho a um novo emprego, mas estava muito nervoso por isso ele praticamente ia o voo todo a ler e a reler os guiões para a entrevista (isso sem contar com o tempo que passava a olhar para Maria). Finalmente depois de uma hora e meia de voo chegaram a Barcelona ( e eu também), os dois tinham saído quase os primeiros um atrás do outro, sem sequer se conhecerem ( parecia a força do destino, que queria que os dois se unissem). De repente João deixou cair no chão todos os papéis dos vilões para a entrevista e Maria correu para as apanhar. Já tinham saído do aeroporto os dois( mas mesmo assim ainda insisti em continuar o jogo) Maria foi de táxi e João de autocarro os dois para o mesmo hotel, ( mas isso nenhum dos dois sabia, é o que eu digo parece mesmo o destino a fazer das suas) só souberam quando se viram a entrar nos quartos. Foi então que Maria teve a ideia de o conhecer porque pelos vistos ela também estava apaixonada sem saber ( amor à primeira vista), escreveu-lhe uma pequena nota e deixou-a à porta do quarto do João, a nota dizia: " Olá eu sou Maria vimonos no aeroporto fui eu a rapariga que te ajudou a apanhar todos aqueles papéis, desde esse momento queria conhecer-te melhor. Se também queres conhecer-me melhor liga a este número ### ### ###."
João ligou com o coração na mão e tiveram uma conversa muito longa( tão longa que os do hotel tiveram de os chamar a atenção por estar a incomodar os vizinhos às duas da manhã ). Combinaram os dois para um café,  conheceram-se melhor, namoraram como os dois se adoravam casaram-se e queriam ter uma pequena família tiveram um filho chamado Manuel e um cãozinho chamado Lior. João também foi visitar a sua sogra ( mãe de Maria) e ajudou Maria a pagar os tratamentos, até que a mãe de Maria ficou curada. João fez a entrevista de trabalho já muito mais calmo com a ajuda de Maria e conseguiu um trabalho numa empresa muito famosa. Os quatro( Maria, João, Manuel e Lior) viveram felizes para sempre.